The Vermouth


VERMOUTH
O vermute nunca foi inventado com o propósito de o misturar num Manhattan ou num martini, embora a adição de vermute - doce num Manhattan e seco num martini - é essencial para cada um desses cocktails.

Na verdade, o vermute foi criado como um tônico medicinal e é suficientemente complexo para ser servido como se tratasse de um cocktail por si só.

COMO SE PRODUZ O VERMOUTH ?
O vermute é um vinho aperitivo fortificado e aromatizado.
Isso significa que a base é o vinho, o primeiro elemento, o qual é fortificado com um espirituoso neutro como por exemplo um brandy de uva.
A adição deste álcool interrompe a fermentação do vinho e cria um vinho mais forte em álcool e mais doce.
Esta mistura é de seguida infusionada ou aromatizada com plantas.

Cada estilo de vermute ( e varia muito de país para país ou de região por região) tem uma mistura diferente, e geralmente secreta, de ervas, cascas, frutas e especiarias, botânicos como a laranja amarga, cardamomo, zimbro, canela, camomila, cravo, baunilha e muito mais.

Mas a parte mais importante sem a qual um vermute não é um vermute é o absinto, que também é a origem do nome do vermute derivado da palavra alemã WERMUT.

QUAL VINHO É USADO PARA PRODUZIR UM VERMOUTH?
Os vermutes tradicionais começam com uma base de vinho branco e usam corantes para obter uma cor vermelha escura, enquanto alguns novos fabricantes de vermute experimentaram as bases com vinho tinto.

HISTÓRIA DO VERMOUTH (os vários estilos) 
Os primeiros vermutes comerciais foram introduzidos em 1786, no norte da Itália, mais precisamente em Turim, onde António Benedetto Carpano produziu e colocou no mercado local os seus primeiros aperitivos com propriedades medicinais.

Esta fórmula, conhecida inicialmente simplesmente como "vermute" e muitas vezes creditada como sendo o apéritif, era de cor avermelhada, rica e agradavelmente doce.
Mais tarde foi designada como Rosso (vermelho em italiano) ou "Sweet" , na altura em que surgiu um novo estilo seco de vermute, criado a oeste da fronteira italiana, em Marselha, em 1813. Esta nova formula, NOILLY PRAT, criada por Joseph Noilly para o primeiro vermute seco continua existindo hoje, contrastando com o vermute doce italiano: cor de palha  floral e seco.

Um pouco mais a norte, nos finais do século 19, em Chambéry, a DOLIN ganha o seu lugar criando o terceiro estilo de vermute, o BLANC, também conhecido como BIANCO ou Vermute Branco. Os italianos reclamam que o seu GANCIA BIANCO foi o primeiro dos vermutes brancos.... mas o que importa, para um bartender, é que os BIANCOs Italianos têm tendência a serem mais gordurosos  que os BLANCs Franceses.

Independentemente de suas origens, os botânicos do Blanc mantêm-se do lado do Sweet: baunilha, casca de laranja e limão verbena.
É também o mais doce dos três estilos clássicos, contendo quase o dobro do açúcar encontrado no vermute seco e um sabor menos apimentado do que o vermute doce.

Hoje, quase todos os produtores tradicionais de vermute produzem algum tipo de vermute rosso e seco, e muitos também produzem um vermute branco.
Existem outros produtos no mercado e ao longo do tempo mas é geralmente justo afirmar que os produtores franceses são mais conhecidos pelos seus vermutes mais leves e secos, e os produtores italianos são mais conhecidos pelos vermutes rossos com especiarias inspirados por Torino, mas todos os vermutes comerciais são fórmulas proprietárias, e são seus ingredientes botânicos e vegetais secretos assim como os seus perfis de sabor que os distinguem.

Alguns podem ser melhores, alguns piores, embora mesmo aqueles reconhecidos entre os “melhores” possam não ser os melhores em todas as circunstâncias.
É particularmente importante não cair na armadilha de comparar vermutes seguindo algum ideal platônico: não, é mais razoável esperar que cada vermute de cada estilo ofereça algo de diferente que revele o seu DNA. Tal e qual os Gins ou os Whiskys, não têm todos o mesmo sabor.....
Somos todos únicos assim como todos os vermutes, qualquer que seja o seu país ou região de origem.

COMO BEBER UM VERMOUTH
Um vermute pode ser servido sem restrições como o deve ser durante um apéro.
Mas antes de o misturar com algo tente aprecia-lo tal e qual na forma em que sai da garrafa: puro, com 1 ou 2 cubos de gelo e com um zest de citrico, de laranja para um vermute "Sweet", de limão para um vermute "Seco" e de toranja para um vermute "Blanc".

COMO GUARDAR O VERMOUTH
Uma garrafa de vermute deve ser refrigerada após a sua abertura e irá assim manter-se durante um mês ou dois.
Utilize o vermute que está no seu limite para cozinhar, mas como cozinhar com vinho, utilize-o somente se estiver em condições de o beber. Assim prove-o sempre antes e se estiver passado deite-o fora. Lembre-se de que, mesmo refrigerados, os sabores do vermute vão alterar-se, assim beba-o rapidamente.